segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Torrencial

Eu sou torrencial


Dessas que amam pela madrugada


Dessas que choram soluçando


Dessas que se apaixonam todos os dias


Pelo mesmo homem


Ou não.


Sou torrencial


Pois não sou oito ou oitenta


Mas oito e oitenta


Sou dessas que arrebentam coisas na parede


E logo pedem um abraço


Sou destemperada, louca,


Mas temperada, salgada, apimentada.


Eu mordo

.
E às vezes me mordo.


Eu sou torrencial


Dessas que se descabelam

Quando o telefone não toca


Quando o te amo é omitido


E quando não reparam na blusa de botões na frente


Que servem para serem desabotoados um por um.


Eu sou torrencial


Dessas que vivem buscando olhares


Dessas que gostam do todo


E detestam metade.


Dessas que desafiam

Dessas que dominam, controlam
,

Mas que se permitem


Serem guiadas


Pois assim são as torrentes


Controlam, se descontrolam, machucam.


Mas criam caminhos, abrem espaços...


2 comentários:

melissa disse...

olá...
Gostei dessa coisa de ser torrencial, rs...
Como uma boa capricorniana sou aparentemente fria, por dentro sou um vulcão
Adorei este post...
Beijos mineiros

Suzana disse...

Hmm..que bom que gostou ..seja sempre bem vinda querida,..